Box Trilogia Millennium

STIEG LARSON - “Lisbeth Salander fechou os olhos e quis que o chão se abrisse sob seus pés. Sentia-se num estado de paralisia mental. Estava com a boca seca. A situação era irreal e seu cérebro recusava-se a funcionar. Nunca antes havia estado face a face com um de seus objetos de investigação. Ele sabe onde eu moro! Ele estava em sua cozinha. Impossível! Isso não podia estar acontecendo. Ele sabe quem sou!”

Rubem Fonseca

LUCIA MACCARTNEY – “Você já chupou sangue? Pois esse rapaz, this boy, ele era doido, deu um corte no peito e disse chupa, suck it, eu chupei o sangue dele, his blood, se não chupasse ele me matava, ele era doido, crazy, mad. Um gosto diferente. Às vezes eu sinto vontade de chupar sangue outra vez. Você acha isso perverse?”, ela perguntou. “Se você puser um pouco de sal e pimenta não”, respondi.”

Rubem Fonseca

OS PRISIONEIROS – “Me contaram uma história de um par mascarado que dançava no carnaval. Ele estava vestido de cachorro e tinha uma máscara de gente; ela estava vestida de gente e tinha uma máscara de gata. Tiraram as máscaras ao mesmo tempo. Debaixo da máscara de gata estava a cara de uma mulher; debaixo da máscara de gente estava a cara de um cachorro; o que tinha corpo de cachorro, era cachorro mesmo: as aparências não enganam.”

Rubem Fonseca – HQ Mandrake

A CARA DO MANDRAKE - Senti o sangue molhando a camisa. Senti que a luz da sala escurecia. Tenho que ficar em pé, pensei, senão vão chutar minha cara, mas o sangue já estava sujando o tapete da sala. A mão do barbudo segurou meu rosto, senti um perfume de sabonete. Parecia um sonho. www.acaradomandrake.com.br

Zeca Fonseca

Augusto, o andarilho, cujo nome verdadeiro é Epifânio, mora num sobrado em cima de uma chapelaria feminina, na rua Sete de Setembro, no centro da cidade, e anda nas ruas o dia inteiro e parte da noite. Acredita que ao caminhar pensa melhor, encontra soluções para os problemas; solvitur ambulando, diz para seus botões.

Rubem Fonseca

Sou conhecido como o Especialista, contratado para serviços específicos. O Despachante diz quem é o freguês, me dá as coordenadas e eu faço o serviço. O último foi na véspera do Natal. O Despachante deu-me um endereço e disse onde encontrar o freguês, que estava dando uma festa para um monte de gente. Bastava chegar com um embrulho de papel colorido que eu entrava na casa. “O freguês está vestido de Papai Noel e tem uma berruga no rosto ao lado direito do nariz.”Sempre odiei, desde criança, esses papais-noéis fazendo Ô! Ô! Ô!…

Portal do Teatro

O Portal do Teatro veio para abrir uma nova frente de relacionamento entre os artistas, realizadores, produtores e seus espectadores. A informação e a divulgação passa a ganhar maior agilidade e interatividade para acompanhar a grande produção teatral do pais. Projeto desenvolvido em parceria com a Belém Com e a Microwave.

Manacá

Da flor desse manacá, iá/Da flor desse manacá, iá/Nascida roxa feita a terra/Morrida branca de tão casta/Vem, doce perfume das estrelas a chegar/Se mata a sede de voar com pés no chão/As pétalas, folhas pros sentidos adornar/Veneno que pode temperar uma paixão/E em noite que o luar não vem/Fogueira faz iluminar/De longe vem gente pra ver/Ele voltar, desencantar

Manacá video release

Nossa Senhora do Rosário, dos Artistas e da Conceição/Santa Cecília, Iansã/Meu desejado/Dom Sebastião/Vento bendito de vossa graça/Bate asas em meu peito/Traz fortuna à minha sorte/Traz amor ao meu leito/Vento forte do Norte/Por ti sempre esperei/A ti sempre agradecerei/Para ti meu coração,/todo meu amor/Minha devoção/Nossa Senhora do Rosário…

Portal do Cinema

Portal desenvolvido para a Globo Filmes com o objetivo de buscar novos caminhos para divulgar e apoiar o cinema nacional. Depois da Página do Cinema criada semanalmente para a folha de São paulo e Veja rio, o Portal veio para abrir uma nova frente de relacionamento entre os artistas, realizadores, produtores e seus espectadores. Projeto desenvolvido em parceria com a Belém Com, Globo Filmes e Microwave.

Pagina do cinema

A Página do Cinema foi criada num momento difícil para a produção nacional, quando a principal meta era a retomada do público. Nestes quase dois anos, este espaço cumpriu a missão de divulgar e prestigiar o cinema brasileiro e acompanhar com detalhes o seu crescimento em quantidade e qualidade, nas suas mais diferentes vertentes. Projeto desenvolvido em parceria com a Belém Com e a Globo Filmes.

Ecopac naturalmente

Coleção desenvolvida para Universal Music numa embalagem reciclável e biodegradável. São 25 títulos com os maiores nomes da MPB: Caetano Veloso, Chico Buarque, Gilbert Gil, Dorival Caymmi, Maria Bethânia, Luiz Melodia, Baden Powell, Toquinho e Vinícius, Marina Lima, Fafá de Belém, Roupa Nova, Ivete Sangalo, Cássia Eller entre outros.

Bahia de Todos os Santos

Gente da Bahia!/ preta, parda, roxa, morena/ cor de bons jacarandás de engenho do Brasil (madeira que cupim não rói)/ sem caras cor de fiambre/ nem rostos cor de peru frio/ sem borrões de manteiga francesa/ (cabelo ruivo de inglês e de alemão)/ Bahia ardendo de cores quentes/ carnes mornas gostos picantes…/Bahia de quase todos os pecados/ escorrediça lama de carne/ ranger de camas de lona/ sob corpos ardendo, suando de gozo [gilberto freyre]

Pagina do Teatro

Toda reflexão que tenha o drama como objeto precisa se apoiar numa tríade teatral: quem vê, o que se vê, e o imaginado. O teatro é um fenômeno que existe nos espaços do presente e do imaginário, e nos tempos individuais e coletivos que se formam neste espaço. A Pagina do Teatro tem como objetivo apoiar e promever os novos projetos do teatro nacional.

Decamerão

Minissérie Decamerão – A Comédia do Sexo, inspirada na obra de Giovanni Boccaccio, escrita por Jorge Furtado, Guel Arraes, Carlos Gerbase e Adriana Falcão. As histórias têm como elementos principais o amor e o riso, mostrado em um roteiro escrito em versos e conta a história de um casal de classes sociais distintas, que se casa, à primeira vista, por interesse. Protagonizada por Deborah Secco, Lázaro Ramos, Matheus Nachtergaele, Leandra Leal, Daniel de Olveira, Drica Moraes, Tonico Pereira e Fernanda de Freitas.

Isabella Taviani

Eu tenho mais o que fazer/ Do que me enganar/ Eu não gosto de cartas fechadas/ Eu poderia tentar te seguir/ Só pra te agradar/ Mas eu não conheço essa estrada// Eu não moro na sua vida/ Eu não procurei por você/ Eu sei onde fica a saída/ Não precisa me dizer/ Eu não bato na sua porta/ Eu não acredito em você/ A sua palavra me corta/ Eu não quero mais// Cada vez mais me asseguro/ Eu posso partir/ Estradas são feitas de passos